Saiba 7 tendências de varejo online para 2019!

26 agosto 2019
O que 2019 reserva para o varejo online? Conheça quais são as principais tendências!

Mal terminou 2018 e logo começam as discussões sobre as tendências de varejo online para 2019. Mais do que mera curiosidade, estar informado sobre o que promete mudar no setor é importante para não ficar para trás e manter o negócio em constante evolução.

Para ajudar nesse indispensável processo de atualização, listamos no texto 7 tendências que prometem ser destaque no e-commerce no ano que começa. Acompanhe!

1. Acesso pelo smartphone

De acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Brasil já tem mais de um smartphone em funcionamento para cada habitante. São 220 milhões de aparelhos e pouco mais de 207 milhões de cidadãos.

Com tamanho volume de pessoas conectadas à internet por meio dos smartphones, é normal que aumente o montante de vendas feitas por meio desses dispositivos. Entre 2016 e 2017 esse número já cresceu quase 60% e promete seguir essa trajetória em 2019.

Por isso, é importante que as lojas invistam em sites com design responsivo. Sites construídos dessa maneira adaptam o leiaute de acordo com a tela do aparelho em que o cliente está realizando o acesso. Isso torna a experiência mais agradável, simples e intuitiva.

Além de facilitar a visualização, essa adaptação contribui para que seu e-commerce apareça bem posicionado nos resultados dos mecanismos de busca. Outra forma de facilitar o percurso dos clientes que fazem compra por meio de smartphones é com o desenvolvimento de aplicativos próprios.

2. Utilização das redes sociais

Junto com os smartphones, as redes sociais também se disseminaram entre os brasileiros. Até 2016, 78% dos usuários de internet do país haviam utilizado pelo menos um site ou aplicativo dessa categoria para se comunicar.

Dessa forma, redes como o Facebook e o Instagram podem fazer parte de uma estratégia de divulgação eficiente, principalmente das pequenas lojas. Conteúdos criativos e relevantes são capazes de criar engajamento e promover os produtos disponíveis.

3. Uso de chatbots

Boa parte da interação com os clientes se dará por meio dos chamados chatbots, tanto nos sites quanto em redes sociais ou aplicativos de trocas de mensagens. Eles são programas de computador configurados para fornecer respostas durante uma conversa.

Os chatbots estão cada vez mais naturais e fluídos. Com eles, torna-se possível automatizar algumas tarefas mais simples, como esclarecer pequenas dúvidas ou solicitar informações. A adoção dessas ferramentas libera tempo e recursos em diversos setores do seu negócio, sem que isso represente perda de qualidade.

No entanto, é preciso avaliar a viabilidade ou mesmo a necessidade do seu negócio contar com chatbots. Como nem toda atividade pode ser substituída com eficiência por essa ferramenta, os custos de implantação devem ser considerados.

4. Integração entre lojas físicas e online

Passou o tempo em que lojas físicas e online mal conversavam uma com a outra. Em 2019, a promessa é de que as integrações entre ambos os ambientes se aprofunde, oferecendo mais possibilidades aos consumidores e criando novas oportunidades de negócio.

Um exemplo dessas possibilidades de integração são os sistemas “compra e retira”, também conhecidos como pickup stores. Funciona assim: o cliente vai até o site, escolhe o produto e faz o pagamento, como de costume. Na hora de escolher o método de entrega, estará disponível a opção de retirada em loja.

Caso ele decida por ela, basta que se dirija até a loja física depois de certo período. O produto é retirado com um atendente ou em armários, cuja abertura é liberada por meio de códigos enviados por e-mail ou mensagem no smartphone. Esse mecanismo é bom tanto para os comerciantes, que não precisam se preocupar em manter grandes estoques, quanto para clientes, que economizam com o frete.

Existem outras formas mais ousadas de realizar essa integração. Em vez de comprar no site e retirar na loja, algumas marcas estão experimentando o inverso: a compra é feita presencialmente e o produto é entregue em casa. Outras, antes exclusivas do ambiente digital, estão abrindo pequenas lojas (as chamadas pop up stores), para que os clientes entrem em contato com os produtos e vivenciem novas experiências.

5. Entregas no mesmo dia

Devido aos problemas logísticos, receber o produto no mesmo dia é uma tendência que ainda engatinha no Brasil. No entanto, isso não significa que ela não será explorada.

Algumas lojas do país já prometem entregar no mesmo dia compras feitas até determinado horário para moradores de determinadas áreas. Embora esse ainda seja um serviço restrito, sua cobertura tende a se ampliar. Essa opção faz mais sentido para quem trabalha com produtos perecíveis e sua popularização permitirá a ampliação dos e-commerces que vendem alimentos perecíveis.

6. Varejo online de nicho

A internet é, por natureza, o local dos nichos. Foi graças a ela que o autor Chris Anderson concebeu a ideia da chamada “cauda longa”, na qual uma grande variedade de produtos é vendido em pequenas quantidades, sem que isso comprometa o retorno obtido.

Assim, cada vez mais empreendedores buscam o ambiente digital como local para o comércio de produtos com públicos específicos. Muitas vezes, esses consumidores de nicho são ignorados pelas grandes redes e encontram nesse varejo online produtos adequados a sua necessidade.

Em 2019, empreendimentos conectados as realidades desses segmentos de nicho ganharão ainda mais espaço no mercado, com a expectativa de bons resultados.

7. Consolidação dos marketplaces

O marketplace se mostra outra tendência irreversível. Com ele, lojistas expõem seus produtos nos portais de grandes marcas, já consolidadas. A cada venda feita, a loja que hospeda os comerciantes recebe uma taxa sobre a transação. Já o lojista tem a oportunidade de alcançar uma base de clientes a qual dificilmente teria acesso se fizesse tudo sozinho.

Todavia, o marketplace nem sempre é a melhor solução. Ele não é recomendável para lojas que buscam atender nichos específicos de consumo. Ainda assim, um e-commerce pode manter paralelamente sua atuação no marketplace e na loja virtual própria, sempre em busca da combinação que trouxer mais vantagens.

Claro que nem todas as tendências de varejo online para 2019 apresentadas neste texto estarão disponíveis ao mesmo tempo para todos os comerciantes. Algumas delas dependem de um amadurecimento maior, enquanto outras ainda estão reservadas para empresas com mais recursos e dispostas a inovar. De todo modo, algumas dessas novidades são simples e podem trazer ótimos resultados para o seu negócio.

Este conteúdo foi relevante para você? Então continue acompanhando nosso trabalho curtindo a página da Equals no Facebook.

Categorias

Saiba das novidades
Os meios de pagamento evoluem a cada dia,
nossa solução também.