8 insights para a indústria do turismo sobre os perfis dos viajantes brasileiros

30 novembro 2020
O comportamento das pessoas varia porque naturalmente elas são diferentes em diversos aspectos. Com o objetivo de ajudar a indústria do turismo a entender melhor quais as tendências de comportamento e consumo sobre o setor, o TRVL Lab da Panrotas realizou uma pesquisa – A Jornada dos Viajantes Brasileiros: Insights para o Turismo, 1ª Edição, TRVL LAB, 2020 – com 1236 pessoas em parceria com a Elo. Apresentamos a seguir um resumo sobre os perfis dos viajantes brasileiros e quais os insights que podem ajudar todo o setor de turismo a atender às expectativas de cada perfil.

A indústria do turismo viu seus resultados caírem vertiginosamente em cerca de -51,8% no segundo trimestre de 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), como consequência direta da covid-19. Essa perda de receita está longe de voltar ao normal em todas as atividades turísticas, como transporte aéreo de passageiros, restaurantes e hotéis. Para ter ideia, o terceiro trimestre apresentou -28,6% de receita para o setor.

No entanto, o brasileiro em geral não deixou de gostar de viajar e conhecer lugares novos. Mais de 80% das pessoas se sentem mais felizes que o habitual quando viajam. Em contrapartida, até que haja vacinação contra o coronavírus, viajar não está nos planos da maior parte das pessoas.

O olhar mais atento sobre protocolos rigorosos de questões higiênico-sanitárias é o novo básico para 52,92% dos viajantes brasileiros na hora de escolher com qual companhia aérea pretendem viajar, quais lugares para hospedagem, onde se alimentar etc. 

Ao mesmo tempo, há brasileiros que se sentem seguros o optam por viajar. O meio de transporte escolhido é o carro e os principais destinos levam a praias ou cidades interioranas.

O comportamento das pessoas varia porque naturalmente elas são diferentes em diversos aspectos. Com o objetivo de ajudar a indústria do turismo a entender melhor quais as tendências de comportamento e consumo sobre o setor, o TRVL Lab da Panrotas realizou uma pesquisa A Jornada dos Viajantes Brasileiros: Insights para o Turismo, 1ª Edição, TRVL LAB, 2020 – com 1236 pessoas em parceria com a Elo.

Apresentamos a seguir um resumo sobre os perfis dos viajantes brasileiros e quais os insights que podem ajudar todo o setor de turismo a atender às expectativas de cada perfil.

Os diferentes perfis dos viajantes brasileiros

1. As iniciantes

De classe média, moram com os pais e ainda não trabalham. Estão na faixa dos 20 anos e gostam de viagens em família e com amigos para destinos de aventura, grandes cidades e praias. Se programam com um ou dois meses de antecedência o optam por casas alugadas com boa localização e bom custo-benefício. 

2. Os boomers

Têm mais de 60 anos e querem conhecer o mundo com o cônjuge ou os filhos. Viajam 2 a 3 vezes por ano e ficam hospedados cerca de 10 dias, o que é o dobro da média nacional. A Europa é o destino preferido quando se organizam para viajar ao exterior a cada 2 ou 3 anos.

3. Loucas pelo Brasil

Têm mais de 35 anos e cargos gerenciais. Costumam viajar e carro com cônjuge e filhos 11 vezes a lazer por ano pelo Brasil. Diferente dos perfis anteriores, esse perfil já fez viagens durante a pandemia para lugares afastados com forte presença da natureza e opções de aventura na agenda.

4. Empresários de férias

Têm entre 45 e 55 anos e estão à frente de médias/grandes empresas. Amam o Nordeste brasileiro e lá ficam entre 6 a 10 dias, gastando acima de R$5 mil; inclusive, já viajaram durante a pandemia para a praia e serra e retornarão caso se sintam seguros. Também viajam ao exterior entre 2 a 3 vezes ao ano e desembolsam de R$25 mil a R$35 mil para aproveitar.

5. Os globais

Têm mais de 45 anos e costumam viajar com o(a) cônjuge pelo Brasil nos fins de semana e feriados, mas é no exterior – América do Norte, Europa e América do Sul – para onde costumam ir mais e lá ficam por mais de 10 dias. São consumidores de viagens com guia turístico. Adoram promoções e seu ticket médio de gastos fica entre R$5 mil e R$15 mil.

6. São os filhos que mandam

Esse é o perfil de mulheres com 40 e poucos anos que costumam poupar para viajar. Gastam cerca de R$2 mil em cada uma das 3 viagens anuais. As opiniões dos amigos são muito importantes no processo de decisão do local da viagem. Amam praia e é o destino favorito. Também não viajaram durante a pandemia.

7. As profissionais liberais viajantes

Mulheres do setor de comunicação/serviços com 35 anos. Apesar de possuírem um teto de gastos durante a viagem, não precisam prestar contas sobre isso. Costumam viajar em carro alugado ou de avião. Acreditam que viajar é fundamental para os negócios e mesmo contra sua vontade, tiveram que viajar durante a pandemia.

8. As viajantes de negócios globais

Possuem 40 anos e estão em cargos de gerência. Costumam adorar viajar a negócios para a América do Sul e Europa e geralmente aproveitam o local de destino como fonte de lazer e relaxamento. Permanecem entre 4 e 5 dias com gasto médio limite entre R$5 mil e R$10 mil em cada viagem, que é definido pela empresa.

9. Os C-Levels

Estão na faixa dos 45 anos e são donos ou diretores de empresas do comércio. Para esse perfil, viagens corporativas são importantes para o negócio e, ao mesmo tempo, várias reuniões vão passar a acontecer on-line sempre. Fizeram entre 6 a 10 viagens nos últimos 18 meses, mas nenhuma delas durante a pandemia.

10. As corporativas alternativas

Mulheres autônomas com 35 e poucos anos que atuam no setor de educação. Possuem um valor máximo de gastos por viagem bem definido. Pelo custo-benefício, preferem se hospedar em residências alugadas e vão manter essa alternativa no futuro.

Insights para a indústria do turismo sobre os perfis dos viajantes brasileiros

1. Apaixonados por viagem

Algumas coisas nunca mudam. Assim é a paixão do brasileiro em conhecer coisas diferentes e viver novas experiências. Viajar traz felicidade. E mesmo de carro, algumas pessoas já estão retomando a “rotina” de desbravar o país para conhecer cada pedaço desconhecido do Brasil, como praias e cidades do interior.

Algumas viagens corporativas podem até ser substituídas pelas alternativas digitais, mas as viagens a lazer vão ter papel fundamental na retomada do setor. Por isso, é necessário fazer adaptações sobre os produtos e serviços oferecidos a clientes que farão viagens de curta duração e com reserva sem muita antecedência.

O importante agora é manter o vínculo com seus clientes bem ativo. Pois, quando a confiança das pessoas crescer, sua empresa poderá ser considerada como preferida pelo seu cliente na retomada completa do turismo. 

2. Valorização local

A preferência por viajar de carro vai fomentar mais ainda o turismo local. Pense em oferecer serviços que atendam possíveis demandas do cliente que vai passar a visitar seu hotel com o próprio carro. Faça parcerias com outros fornecedores para ajudar com essa missão; esteja pronto para uma maior demanda de vagas de estacionamentos.

Venda a melhor experiência para cada cliente para além do seu estabelecimento. Mostre o quanto a região é boa para visitar. É com o testemunho de um cliente que muitos outros podem passar a visitar a cidade e a sua empresa.

3. Viagens de negócios multipropósito

As reuniões que podem ser feitas on-line vão ser sempre desse jeito porque as pessoas assim desejam. A indústria do turismo não precisa lutar contra isso. O que pode ser feito é transformar as várias viagens corporativas que seriam feitas separadamente em uma grande experiência e, assim, aumentar o tempo de permanência do viajante no local de hospedagem e oferecer novos serviços e produtos.

4. Autonomia para escolher

Há pelo menos 2 pontos interessantes aqui: 1- A maior parte dos viajantes a negócios não possui intermediários para a escolha de fornecedores de viagens. 2- Quando o valor limite de gastos para a viagem corporativa é excedido, é o próprio viajante quem arca com as despesas. Logo, é interessante manter uma comunicação direcionada ao consumidor final e oferecer as melhores vantagens com pacotes de benefícios que ele só poderá encontrar na sua empresa.

 5. Perfis específicos do seu cliente

Utilize os perfis apresentados anteriormente como uma base. Seu cliente possui particularidades e necessidades que você precisa descobrir. Entender a jornada de compra de cada um dos seus clientes vai te ajudar a alocar melhor os seus recursos financeiros e humanos e obter melhores resultados com campanhas de marketing e vendas conjuntas. Lembre-se: fortaleça o relacionamento com seus clientes, pois a venda não acaba quando o cliente paga a conta.

6. De olho nos protocolos

Os protocolos higiênico-sanitários são as questões de maior preocupação para quem não viajou durante a pandemia, mas gostaria muito de voltar a viajar. Definir protocolos, executá-los e comunicar como sua equipe está preparada a essas mudanças é o básico para entregar a segurança que os clientes precisam e alimentar a confiança deles.

Leia também:

Entenda o que é chargeback e o que fazer para evitar 

Controle financeiro: saiba como identificar e evitar desvios

Fraudes de cartão de crédito: quais são os riscos para o seu negócio? 

Principais indicadores (KPIs) para melhorar a gestão de chargeback

7. Viagens sem rótulos

Como abordado anteriormente, há profissionais que estendem viagens a negócios para aproveitar momentos livres para o lazer. Ou seja, as experiências de viagens no geral tendem a se tornar cada vez mais híbridas. Assim, com necessidades que se transformam e mudam o comportamento de consumo das pessoas, é essencial estar preparado para oferecer soluções que atendam às expectativas dos clientes.

8. A jornada facilitada

Em um mundo cada vez mais globalizado e conectado, a jornada de compra do seu cliente se atualiza a cada novo meio de pagamento disponível no mercado para realizar uma transação financeira PIX, carteiras digitais, NFC, pagamento por reconhecimento facial, WhatsApp Pay etc. Desenhar essa jornada de compra e estar pronto para integrar variados meios de pagamentos nesse processo é o primeiro passo para oferecer uma ótima experiência para o cliente e para a sua operação.

A tecnologia é uma forte aliada para facilitar a jornada de compra. Por meio dela, é possível eliminar processos manuais que dificultam o desenvolvimento do seu negócio.

A Equals é uma plataforma de gestão financeira inteligente que oferece soluções para empresas com grandes operações, como um setor financeiro mais completo, que contam um ou diversos estabelecimentos, um grande volume de transações e múltiplos meios de pagamentos como cartões, QR code, boletos, extratos bancários, vouchers etc.

Além dos mais de 90 meios de pagamento integrados, a plataforma Equals faz integração direta com os principais sistemas de automação e gestão do mercado: Sistemas de ERP e Gateways, como Auttar e VTEX, por exemplo. 

Como a conciliação de cartões favorece o seu time financeiro

Categorias

Saiba das novidades
Os meios de pagamento evoluem a cada dia,
nossa solução também.